Julho Amarelo

Julho Amarelo: mês de conscientização e combate contra as hepatites virais

Com o intuito de reforçar o combate e prevenção dos sintomas provados pela Hepatite, doença viral silenciosa que provoca inflamações no fígado e nem sempre apresenta sintomas, no ano de 2018, o Senado aprovou a criação do “Julho Amarelo”.

O mês escolhido faz referência ao dia 28 de julho, data sugerida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para promover iniciativas atreladas à campanha de conscientização sobre o Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais.

No Brasil, segundo o Ministério da Saúde, mais de 70% dos óbitos causados por hepatites virais são decorrentes da Hepatite C, sendo a doença classificada pelas letras do alfabeto A, B, C, D e E, tendo as letras relação direta com o biotipo da infecção quando diagnosticada.

Ainda que a enfermidade, por muitas vezes, não apresente sintomas claros, o que aumenta os riscos da infecção se tornar crônica e causar graves danos ao fígado, como cirrose e câncer, os sinais mais comuns são o aparente tom amarelado da pele e olhos acompanhados de cansaço em excesso e mal-estar, podendo, ainda, provocar dores abdominais, tonturas, enjoos e vômitos.

A doença pode se manifestar em decorrência do contato direto com o sangue contaminado pelo vírus, mas também pode ser contraída em relações sexuais desprotegidas e provocada por condições precárias de saneamento básico  ou, ainda, pelo uso de remédios específicos, consumo de álcool em excesso e uso de drogas, bem como por doenças genéticas, metabólicas e autoimunes.

Instituir um mês destinado à conscientização se torna um instrumento eficaz tanto por colocar em pauta a importância do diagnóstico precoce para o tratamento efetivo da doença, quanto por alertar o público em geral sobre as melhores formas de tratamento e prevenção, como a vacinação.

Solicitar cotação
Chat